Arquivo para maio \31\UTC 2010

O Mundo Cor de Rosa

Não esse não é um post gay, falando sobre a vida pink. Se bem que o mundo está cada vez mais gay não? Mas deixa isso para lá, já que é assunto para outro post. Na verdade eu queria falar sobre a força de uma cor tão suave como o rosa. É verdade, vocês já repararam como o rosa chama a atenção? Já se vestiram toda de rosa e observaram como os homens entram em polvorosa. Começam a nos chamar de Penélope Charmosa, Pantera Cor de Rosa etc. É verdade, acho que no fundo os homens adoram ver as mulheres super femininas e delicadas e o rosa é a cor que mais nos deixa assim.

Mas tem mulheres que não suportam rosa, eu conheço algumas. Uma pena! Claro que ninguém precisa virar uma Elle Woods da vida, como no filme Legalmente Loira e se transformar numa lady in pink. Aliás eu adoro esse filme, já que, de um jeito exagerado e hilário, ele mostra como a mulher pode ser forte, sem deixar de ser feminina. Mas quem odeia usar roupa rosa pode colocar só alguns detalhes em rosa no visual: batom e esmalte.

Eu só sei que adoro batom rosa, aliás, durante anos, eu achei que era a única cor de batom com a qual eu ficava bem. E tem tantas opções de batons rosas por aí né?! A mais famosa de todas é o Snob da Mac. Realmente o Snob é lindo, tem uma cor rosa azulada única. E uma de nossas maiores preocupações, mais do que saber de onde viemos e para onde vamos, é descobrir qual rosa se parece mais com o rosa Snob. Mas, na boa, não existe. Um cuja bala é bem parecida, mas na hora que passa fica mais metálico é o Nude Rose da Elke. Se bem que ele dá para substituir legal o Snob. E se for pensar que o da Elke custa uns R$8,00 e o Snob da Mac R$69,00, ele é a opção perfeita! Outro rosinha baratinho que eu descobri foi o Bouquet da Anaconda. Com esse nome esquisito e custando uns R$7,00 o batom dura pra caramba e tem uma cor linda. Ele é mais matte (eu pelo menos adoro batom matte). E tem ainda o que virou febre com a última Helena do Maneco: o Romance de O Boticário. Ele é um rosa lindo, é mais transparente, e sai mais rápido também.

E para não dizer que não falei dos esmaltes, hoje em dia têm centenas de opções de rosa, desde o Gatinha da Impala que é um rosa muito, muito fofo, até a coleção Penélope Charmosa da Risqué. Aliás, eu ainda não tinha nenhum dessa coleção e outro dia entrei numa farmácia, morrendo de dor de cabeça, para comprar uma aspirina, quando vi a coleção inteira! Fiquei catando todos os esmaltes da coleção. Chamei o moço da farmácia e perguntei quantos esmaltes afinal tinha a coleção. O coitado ficou lá me ajudando. No fim saí com 7, ficou faltando um. A dor de cabeça? Sumiu na mesma hora.

A linha pink da Granado também tem umas coisinhas rosas lindas, além de um cheiro delicioso. E o talco da linha vintage! Só a embalagem com aquele pompom já é tudo! Para usar e enfeitar o banheiro.

Dia de Branco

Dizem que segunda é dia de branco. Seja lá de onde veio essa expressão, quer dizer que é dia de trabalho, de labuta, de trampar, de ralar, so… vamos nos inspirar na Graça Ottoni e nas suas criações brancas do Fashion Rio e vamos trabalhar lindinhas amanhã. Boa semana procês!

Sarah Jessica Parker – AC/DC

Antes da Carrie

Depois da Carrie

Gente, é hoje a grande estreia de SATC2!!! E aí a gente começa a pensar em Carrie, sonhar com Carrie e desejar todo o closet dela. E de quebra, que o Mr Big venha de brinde.

Eu adoro a Sarah Jessica Parker porque ela é a tradução de que dá sim para ser linda, sem ter traços perfeitos, tendo o nariz grande, o queixo pontudo e com verruga. Mas ela não estava nem aí para isso e foi em frente!

Ela simplesmente foi aperfeiçoando o que Deus lhe deu, sem nunca ter corrigido o nariz, ou mudado o formato do rosto.

Carrie e Samantha na adolescência. rsrs Na verdade é a SJP em Footlose.

Quem lembra dela em Footlose? Duas ou três gatas pingadas. Pois é, isso porque ela fez uma ponta, era coadjuvante total. Mas ela atua desde criança e fez Annie na Broadway. E confiava no taco dela. Soube explorar todos os pontos fortes (o corpo, o olho) e escondeu os fracos.

Ela sempre teve esse corpitcho!

E soube usá-lo a seu favor. Belíssima!

 

Foi ganhando cada vez mais destaque, aliando perseverança, talento e a beleza que ela construiu.

Assim como nós, teve decepções no amor. Namorou Nicolas Cage, mas não toca no assunto. Será que levou um pé?

Mas depois encontrou o amor da sua vida. Parece que eles se conheceram, foram jantar e aí o Matthew Broderick sumiu por três meses. Ela ficou arrasada. Depois de curtir a vida adoidado, ele voltou, ligou para ela e o resto é história.

E então veio o grande papel da vida dela, depois de muita batalha, quando ela já estava mais madura. Carrie Bradshaw! Portanto meninas, quando a gente vê a SJP na pele da Carrie, em cima de Louboutins, dentro de Chanel, a gente pensa que ela nasceu assim. Não. Foi trilhando o caminho dela, correu muito atrás e mostrou para o mundo que ela é linda sim, do jeito dela. Pensem nisso quando estiverem na frente do espelho, se achando a pior criatura do mundo porque não nasceram com o rosto de top model. A nossa beleza a gente inventa!

Carão de Rica

Sabe aqueles dias em que você quer ficar com cara de rica?!! Porque, vamos combinar, cara de rica independe da conta bancária e todo mundo merece um dia o outro sair com um ar de Olivia Palermo por aí! Pois bem, é muito simples, só utilizar alguns artifícios e, pronto, você já pode tomar seu breakfast na Tiffany, olhar tudo e sair com um ar blasé dizendo para a vendedora “vou pensar um pouquinho, estou na dúvida se caso, compro uma jóia ou uma Classic Flap”.

A primeira coisa é usar uma bolsa pendurada no braço! Isso mesmo, não é no ombro e nem na mão, você tem que andar com ela pendurada entre sua mão e seu cotovelo, como se fosse a mais legítima Birkin. Vale qualquer bolsa, mas pelamordeDeus não uma que esteja para ser aposentada, afinal, se é para ter cara de rica, a bolsa em questão não pode estar gasta, arranhada etc.

Óculos enormes! Isso, toda it que se preze sai na rua com a bolsa pendurada no braço e um óculos enorme no rosto. Existem óculos dos mais variados formatos e modelos, mas, por favor, óculos barato não é sinônimo de estragar seu olho com lente ruim. Certifique-se de que as lentes têm alguma proteção uva/uvb, e saia por aí com cara de Paris Hilton na entressafra dos escândalos.

Unha bem feita, pintada de branquinho. Gente, essa é tiro e queda. Coloca um Renda ou Paris na unha e você já fica com um ar de “passo meus findes nos Hamptons” ou “passo meus findes esquiando”, ou talvez “passo meus findes no meu barco em Angra”, enfim, vocês entenderam.

Cabelo com leve babyliss! Mas, gente, é leve viu, nada de exagerar e ficar com cara de “estou indo para minha festa de 15 anos”. Afinal, toda mulher que faz carão de rica sabe que menos é mais. Faz um escovão e aí enrola ele de leve com grampos, solta e voilà – “estou indo tomar um café descafeínado com a Olívia Palermo”.

E isso me faz lembrar de mais um acessório: andar na rua com um copo de Starbucks na mão. Mas, por favor, não vão se enrolar com a bolsa que já está pendurada no braço e acabar deixando o copo derramar na sua roupa. Para as mais descoordenadas vale levar ele vazio! E aí meninas, é só caminhar elegantemente por aí, como se você não tivesse preocupação com as contas, nem com a dívida do cartão de crédito!

Mundos Trocados

Imagina se acordássemos num mundo trocado, em que as mulheres agissem como homens e homens como mulheres. A gente veria os desfiles de moda, como eles veem o futebol: sentadas no sofá, tomando cerveja e aí quando  entrasse o desfile do nosso estilista favorito a gente ia para a janela gritar: Chanel!!!!!!!!!!! Dior!!!!!!!!!!!! Que nem eles fazem quando o time deles faz gol. E eles o que fariam? A cada nova temporada, iria ter desfile da nova coleção do uniforme do time deles. Uniforme de outono/inverno e primavera/verão. Revistas e blogs iam falar sobre as novas tendências, os novos tecidos dos uniformes. E na Copa quem ganharia seria o país que jogasse com os uniformes mais lindos a cada partida. Já pensou? E as mulheres iriam organizar desfiles equivalentes à pelada deles: bem informal, improvisado na hora, muita xingação, briga durante o desfile e aí, quando acabasse, elas iam se abraçar e sair para comemorar comendo churrasco e tomando muita cerveja. E eles iriam assistir à copa tomando Prosecco e comendo cupcakes. Nossa, que horror! Melhor deixar o mundo como está né?!

Você Escolhe Seu Perfume Pelo Cheiro?

A resposta imediata é siiiiiiiiimmmmmmm, que pergunta! Mas será mesmo? Quem aí já não comprou um perfume sem nem sentir o cheiro? \o/ E isso é mais comum do que a gente imagina, afinal um perfume tem uma série de apelos que nos fazem ter desejo de adquiri-lo.

Um deles é a tradição, a aura que transita em torno do nome do perfume. Querem um exemplo? Chanel Nº 5. Quantas pessoas nunca sentiram o cheiro do Chanel Nº 5 e sabem de cor e salteado que ele é o perfume mais famoso de todos os tempos. Quantas pessoas já compraram o Nº 5 sem nunca ter sentido o cheiro e quantas sentiram, acharam que ele não é tudo isso e acabaram comprando mesmo assim? E quantas imitaram Marilyn Monroe dormindo só com algumas gotas de Nº 5? Muitas e muitas. E tudo isso por causa da história e tradição do number five.

Pela embalagem. Sim, a embalagem é criada exatamente para isso, atrair e despertar o desejo de compra. Para isso, muito dinheiro é investido no design do vidro do perfume. Quem não ficou tentada por uma embalagem ultra rebuscada ou então pela mais simples, como a do Midnight Rain da La Praiere? Os criadores desse perfume apostaram no desing ultra simples: uma gota! Genial e instigante.

Pela história fofa do perfume. Esse é ocaso de Flô. A história desse perfume é linda: na década de 30, um homem apaixonado criou esse perfume para conquistar a sua amada e batizou ele de Flô. Não só conquistou como casou e viveram juntos para sempre. Lindo. Eu mesma nunca senti o cheiro do perfume, mas quero comprá-lo só para carregar comigo uma história tão linda e meiga.

Ah, sim, e também compramos o perfume pelo cheiro né, afinal, esse é a função básica dele, deixar nosso rastro perfumado pelos caminhos da vida.

E Esse Tal de Moleskine?

Têm coisas que entram no inconsciente coletivo e aí todo mundo começa a falar, a comentar. Isso que está acontecendo com os moleskines. Comecei a ver todo mundo falando de moleskine para lá, moleskine para cá e pensei: mas que diabos de tão especial tem esse tal de moleskine? Fiz uma pesquisa básica e descobri que moleskine é uma marca italiana de cadernos de notas. Mas o que eles têm de tão inédito? Na verdade é um mix da tradição, história e lenda com a qualidade do produto.

A lenda diz que artistas como Van gogh, Picasso, Matisse, Hemingway faziam os esboços de suas obras em moleskines. Porém, a marca Moleskine atual só foi relançada em 1996, o que nos faz pensar que estes artistas podem ter usado cadernos da empresa anterior que fabricava moleskines, ou então utilizavam cadernos com as mesmas características: cantos arredondados, uma tira de elástico para mantê-la fechada  e uma lombada costurada. Ou vai ver tudo isso é história e eles usavam mesmo eram guardanapos (que nem Walt Disney) para fazer suas criações e essa lenda não passa de marketing dos bons.

Mas a verdade é que os moleskines atraem pela diversidade do formato e a qualidade do papel. Existem pelo menos uns 15 tipos de moleskines: para quem é músico, para quem cria story boards, para quem quer desenhar, para quem quer pintar , para quem quer apenas escrever, para quem quer fazer anotações de viagens, escrever receitas, notas sobre vinhos e por aí vai. O papel é acid free, ou seja, não amarela com o tempo.

E hoje viraram febre. Todo mundo que quer estar na moda diz que usa um moleskine e que tem um sempre à mão! Enfim, é aquilo, às vezes a imagem do produto criada é tão forte que ele vira desejo de primeira necessidade.


Categorias

Siga o Hi Lo Pot Pourri no Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 2 outros seguidores